Federação dos Trabalhadores na agricultura no Rio Grande do Sul

Informativo

INFORMATIVO N° 1.491

Informativo FETAG-RS e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais. Um programa da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul e dos 320 Sindicatos filiados. Transmitido em todo o Estado com informações para o trabalhador e a trabalhadora rural.

 

 

A FETAG-RS TAMBÉM ESTÁ NO INSTAGRAM

Siga nosso perfil e fique atento a tudo o que acontece no Movimento Sindical Gaúcho!

E não esqueça que todas as notícias também estão em nossa Página oficial no Facebook!

 

 

 

REUNIÃO ENTRE ENTIDADES DEFINE PAUTAS RELACIONADAS A ESTIAGEM

 

Na última segunda-feira (16), na sede da FETAG-RS, em Porto Alegre, entidades do setor produtivo (FETAG-RS, Farsul, Famurs, Fecoagro e Emater) se reuniram para discutir a pauta de reivindicações que será entregue ao Ministério da Agricultura visando amparar agricultores e pecuaristas que estão sendo afetados por mais uma estiagem, a segunda no ano de 2020.

 

O momento mais uma vez é avaliado como de extrema gravidade, pois, em algumas regiões do Estado, como a noroeste, boa parte da safra de milho está perdida devido à falta de água. Nesta região que planta mais cedo em comparação com as demais, mesmo que volte a chover nos próximos dias, as perdas são irreversíveis.

 

A falta de milho, além de prejudicar o agricultor que fica sem produto para vender, também já afeta os produtores da cadeia leiteira, que estão sofrendo com a falta de milho para silagem, bem como pastagem que está secando, aumentando e muito o custo de produção, obrigando o produtor a utilizar ração.  

 

De acordo com o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, que participou através de videoconferência diretamente de Brasília, uma reunião com a ministra da agricultura Tereza Cristina poderá ser marcada para amanhã, ocasião em que a pauta seria entregue em mãos para a titular da pasta.

 

As pautas estão divididas entre Governo do Estado e Governo Federal.

 

Para o presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva, “o Estado precisa se preocupar com a irrigação. O governo precisa criar um projeto de armazenagem de água, nas grandes, médias e pequenas propriedades, levando em consideração as suas peculiaridades, pois normalmente, não falta água ao longo do ano, o problema é a distribuição nas regioões.  Precisamos resolver os entraves que muitas vezes impedem os produtores de armazenar água, que é principal problema.

Ainda no tocante a irrigação, é necessário resolver problemas de energia elétrica no meio rural, o que também dificulta a implantação de sistemas próprios de irrigação.

 

Participaram da reunião de hoje o presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva, o vice-presidente, Eugênio Zanetti, e o assessor de política agrícola, Kaliton Prestes; o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo; representando a Farsul, os assessores Rodrigo Rizzo e Luiz Fernando Cavalheiro Pires; pela Fecoagro, o presidente, Paulo Pires, e o economista, Tarcísio Minetto; pela Famurs, o assessor Ismael Horbach; pela Emater, o presidente, Geraldo Sandri; o presidente da Emater, Geraldo Sandri; e, por videoconferência, o secretário adjunto da Agricultura, Luiz Fernando Rodrigues, e o diretor de Política Agrícola, Ivan Bonetti.

 

 

 

ATRAVÉS DE CONVÊNIO COM O SENAR, STR PRESTARÁ ASSISTÊNCIA PARA BOVINOCULTORES

 

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santo Antônio das Missões e Garruchos firmou parceria com o Sindicato Rural de Garruchos e com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), para atender de forma gratuita e continuada por meio do Programa ATeG, 30 produtores de bovinocultura de corte, durante o período de dois anos no município de Garruchos.

A mesma parceria também já existe no município de Santo Antônio das Missões, onde um grupo foi formado e a previsão de início é para janeiro de 2021.

 

Tal parceria entre os Sindicatos, a FETAG-RS e o Senar foi construída ao longo dos últimos anos e tem por objetivo fundamental a realização de ações que qualifiquem os trabalhadores e as trabalhadoras rurais na melhoria de vida de suas famílias, além de aumentar a rentabilidade das famílias e das pessoas do campo, tendo como desafio construir novos projetos, expandir e potencializar a produção rural.

 

Diante do atual contexto e do cenário agrícola vivido pelo país, o aprimoramento e a formação profissional rural, bem como a promoção social familiar que vise a desenvolver e a atender a produção, são pautas que devem discutidas pelo movimento sindical. Da mesma forma, a pecuária de corte, que é uma das principais vocações de nossa região, desde a introdução dos primeiros animais, com a chegada dos jesuítas, em 1626, momento em que foi fundada a Missão Jesuítica de São Nicolau, na margem direita do Rio Piratini, afluente da margem direita do Rio Uruguai.

 

Este convênio fará acompanhamento, monitoramento e operacionalização da produção da pecuária de corte, para que assim tenha-se aprimoramento na geração de renda, durante dois anos, sempre de forma gratuita. O assistência que contará com a orientação da médica veterinária Rubiele Vargas, que desde setembro de 2020 está fazendo um trabalho de mobilização dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, conscientizando-os sobre a importância da capacitação e da qualificação profissional, bem como atendendo e instruindo na correta gestão e no manejo na propriedade, assim mensurando os impactos econômicos positivos da propriedade.

 

Em alguns casos, há a expectativa de aumento de 30% na produtividade com a adoção de melhores práticas produtivas, sem mesmo ter a necessariamente elevação de custos, além de auxiliar as famílias nas questões de comercialização e principalmente na conscientização da valorização da agricultura e da pecuária familiar.

 

A FETAG-RS orienta e incentiva  todos os demais STRs do Estado para que busquem parcerias e acordos como este, buscando ampliar o número de pessoas atendidas e assim construir novas políticas públicas que valorizem e apoiem o homem, a mulher e o jovem que queira permanecer na agricultura e na pecuária familiar, construindo referências produtivas que possibilitem aos trabalhadores(as) rurais atender suas expectativas de vida, do presente e do futuro, para assim estarem integrados na sociedade em condições dignas, sem que para isso tenham que abandonar o meio rural.

 

A valorização do homem do campo, garante um país prospero e sem fome.

 

Para maiores informações, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santo Antônio das Missões e Garruchos/RS.

 

 

 

 

FETAG-RS E INCRA TRATAM SOBRE COMBATE A VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR EM REUNIÃO

 

Na segunda-feira (16), a FETAG-RS, representada pelo presidente, Carlos Joel da Silva, e pela coordenadora Estadual de Mulheres, Maribel Moreira, estiveram reunidos com o superintendente do Incra no Estado, Tarso Teixeira, para tratar sobre o projeto de enfrentamento à violência intrafamiliar nas comunidades rurais.

O projeto visa a construir iniciativas em parceria com instituições públicas e com entidades vinculadas ao meio rural, a fim de coibir situações de crimes contra mulheres, violência de gênero e abuso de crianças e de adolescentes em assentamentos de reforma agrária.

Na oportunidade, a consultora jurídica da FETAG-RS, Jane Berwanger, também apresentou o projeto direcionado às mulheres que está sendo trabalhado pela federação. A ideia é atuar na obtenção de recursos destinados à renda feminina e desenvolver ações contra a violência.

A intenção é iniciar um projeto-piloto em comunidades rurais da Zona Sul do Estado.

No entendimento da coordenadora Estadual de Mulheres da FETAG-RS, Maribel Moreira, “é preciso que todas as entidades e órgãos do setor primário estejam atentos e unidos em projetos que combatam qualquer tipo de violência no meio rural, além de estimular o incremento de renda para as famílias, principalmente aquelas chefiadas por mulheres”.

Também participaram da reunião a assessora da FETAG-RS, Paula Fortunato; representando Incra, o chefe de gabinete, Cláudio Moreira, o chefe da Divisão Operacional, Dionísio Weschenfelder, o chefe da Divisão de Desenvolvimento, Jocelito Zanatta, e o procurador Alexandre Dipp; e a vereadora Nádia Gerhard.

 

 

 

 

A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL MANTÉM O MOVIMENTO FORTE E ATUANTE


A Contribuição Sindical dos(as) Agricultores(as) Familiares é realizada para o Sistema Confederativo – CONTAG – FETAG e Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Ela é devida por toda a categoria, trabalhadores(as) ou empregados(as). Ou seja, todos aqueles que são trabalhadores rurais e não possuem empregados e exercem a atividade rural, individualmente ou em regime de economia familiar, sendo proprietário, arrendatário, parceiro, meeiro ou comodatário.

 

Para o tesoureiro-geral da FETAG-RS, Agnaldo Barcelos, a Contribuição Sindical é uma das formas de manter o Movimento Sindical atuante, forte e em constante luta para assegurar o direito dos agricultores familiares. Agnaldo reitera que embora a Contribuição seja facultativa, é uma obrigação dos agricultores(as), pois quando da conquista de um benefício para a classe todos recebem as melhorias.


O valor da Contribuição Sindical da Agricultura Familiar referente ao exercício 2020 é de R$ 35,00 (trinta e cinco reais) por membro do grupo familiar.