Federação dos Trabalhadores na agricultura no Rio Grande do Sul

Informativo

INFORMATIVO N° 1.348

 

Informativo Fetag e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais// Um programa da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul e dos 316 Sindicatos filiados.// Transmitido em todo o Estado com informações para o trabalhador e a trabalhadora rural./

 

A VOZ DA FETAG/

www.fetagrs.org.br

 

A pecuária familiar é bastante significativa no universo da agricultura familiar no Rio Grande do Sul./ Nada menos do que 60 mil famílias vivem diretamente desta atividade./

E é pensando nisto que a FETAG dá sequência ao trabalho neste segmento com a realização do I Seminário Regional da Pecuária Familiar, que ocorreu nos dias 9 e 10 na Regional Fronteira, mais especificamente no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bagé, que, por sinal, esteve, praticamente lotado, durante os dois dias de evento./

 

Neste programa, o vice-presidente da FETAG, Nestor Bonfanti, diretor responsável pela área de pecuária familiar, fala sobre a pecuária familiar gaúcha./

E na sequência, o presidente do STR de Bagé, Nelson Wild, avalia o I Seminário Regional de Pecuária Familiar.///

 

AS NOTÍCIAS DA FETAG TAMBÉM ESTÃO NO FACEBOOK/

Curta a Página Oficial da FETAG-RS na rede social Facebook e tenha informações atualizadas sobre a Agricultura Familiar e o Movimento Sindical do estado e país. // Não perca tempo e curta a nossa página!///

 

EM NOTA OFICIAL FETAG PEDE ATENÇÃO DO GOVERNO ESTADUAL/

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul – FETAG-RS junto a seus 321 Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, os quais têm em sua base de representação a agricultura e pecuária familiar, vem através desta nota mostrar descontentamento com a demora de atitude e efetividade por parte do Governo Estadual em relação ao setor./

 

Já se passaram 100 dias de trabalho do atual governo e inúmeras incertezas rondam o dia a dia das famílias do campo./ Registramos aqui o descaso e a morosidade em relação a assinatura do decreto que libera o processo do Programa Estadual de Forrageiras, do qual o setor leiteiro depende em sua grande maioria para a manutenção da atividade./ A produção leiteira vem atravessando uma crise exponencial, uma das maiores já vivenciadas e neste momento em que aguarda a liberação de sementes para o plantio de pastagens, parte do Governo Estadual está literalmente “sentado”, não se importando com o impacto de sustentação econômica das famílias e o para próprio Estado./

 

Outro aspecto que causa preocupação é a demora na nomeação ou indicação de pessoas que cuidarão da agricultura familiar dentro da Secretaria de Agricultura, bem como nas demais instituições, como a Emater./ Cabe ressaltar que o diálogo e espaço para debate com esta secretaria, que está sendo conduzida pelo secretário Luis Covatti Filho, acontece de maneira satisfatória, pois sempre que procurado, o mesmo atendeu prontamente a Federação./ Contudo, é extremamente necessário e urgente o olhar estratégico por parte do governo em relação a agricultura familiar, pois é ela quem garante a soberania alimentar do Estado e País./

 

Ainda, importante destacar que após eleito o governador Eduardo Leite visitou a FETAG-RS e se colocou a disposição para diálogo sobre as demandas da agricultura familiar./ Porém, não compreendemos qual o conceito do governador em relação ao termo “diálogo”, pois há semanas que solicitamos uma agenda para apresentar algumas solicitações de melhorias em relação ao setor e até o momento não houve retorno de definição da data.///

 

ENERGIA ELÉTRICA NO MEIO RURAL EM DEBATE NA AL/

As Comissões de Agricultura, Defesa do Consumidor e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa programaram para hoje (11), às 10h, uma Audiência Púbica Conjunta sobre Energia Elétrica no Meio Rural, no Teatro Dante Barone, da Assembleia Legislativa./ O presidente da FETAG, Carlos Joel da Silva, falará sobre as dificuldades enfrentadas pelos agricultores familiares./ Um dos proponentes da audiência, o deputado Elton Weber, destaca que os problemas se espalham pelo Estado e são recorrentes./ “Redes sucateadas, falta de equipes de manutenção e serviços de reclamação que não funcionam fazem parte da realidade, especialmente dos agricultores familiares, prejudicando os negócios”, enfatiza./

 

Weber esteve em Brasília no final de março para convidar o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), André da Nóbrega, para participar da audiência pública sobre a precariedade do fornecimento de energia elétrica no Interior do Estado./ Ele ainda protocolou um documento com problemas enfrentados pelos consumidores gaúchos, entre eles a demora prolongada no reestabelecimento da energia./ O parlamentar reforçou a importância da participação da direção da ANEEL, a qual confirmou a presença.///

 

FETAG E REGIONAL FRONTEIRA PROMOVEM SEMINÁRIO DE PECUÁRIA FAMILIAR/

A FETAG e a Regional Fronteira realizaram nos dias 9 e 10 o I Seminário Regional da Pecuária Familiar no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bagé, que esteve, praticamente lotado, durante os dois dias de evento./ Com apoio do Senar, foram discutidos o Fortalecimento da organização, a Defesa de Políticas Públicas e, ainda, a Produção e a Preservação do Pampa./ O vice-presidente da FETAG, Nestor Bonfanti, coordenou as atividades, acompanhado de Guilherme Velten Júnior, assessor de Política Agrícola e Meio Ambiente da Federação./


Conforme Guilherme, a intenção é a criação de um projeto-piloto para todas as regiões que abrangem o Bioma Pampa, para que haja fomento sustentável na propriedade, mostrando as ferramentas disponíveis e o segundo passo que está se trabalhando é ação muito forte de assistência técnica para que o agricultor pecuarista familiar possa interagir e sanar suas dúvidas./ “O principal viés do projeto é que o pecuarista familiar permaneça na propriedade executando o manejo sustentável do campo nativo e agregação de valor”, destaca.///

 

FETAG RECEBE 107 INSCRIÇÕES PARA EXPOSOL/

A FETAG contabilizou 107 inscrições de empreendimentos da agricultura familiar interessados em participar da Exposol 2019, que acontecerá de 1° a 5 de maio no Parque de Eventos Centenário, em Soledade. Conforme Jocimar Rabaioli, assessor de Política Agrícola e Agroindústrias, o pavilhão tem espaço para 66 estandes e a seleção será realizada pela Comissão Organizadora do Pavilhão da Agricultura Familiar, que é composta pela FETAG, Emater e Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR)./ “O critério prioriza os empreendimentos que sejam da localidade, depois em âmbito regional e produtos diferenciados. Também que atendam o regimento da feira, preservando a diversidade do evento”, justifica Rabaioli./

Após a avaliação da comissão, que acontecerá nos próximos dias, será enviado para os sindicatos a relação dos aprovados. A FETAG obteve o apoio do governo do Estado, através da SEAPDR, para a montagem dos estandes.///

 

REFORMA PREVIDENCIÁRIA É TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA NA AL/

A Frente Parlamentar em Defesa da Terceira Idade da Assembleia Legislativa realizará no dia 15 de abril, às 9h30min, no Plenarinho da Assembleia, uma Audiência Pública que vai tratar sobre O Impacto da Nova Reforma da Previdência na vida dos Trabalhadores e Aposentados./ A tesoureira-geral da FETAG, Elisete Hintz, diretora responsável pela Previdência Social, é uma das palestrantes, além de Thiago Beck Kidrick, advogado especialista em Previdência Social, Pepe Vargas, presidente da Comissão Especial da Previdência Pública, e Gerson Burmann, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Terceira Idade./ A realização é da Assembleia Legislativa, com apoio da FETAG, Federação dos Trabalhadores e Pensionistas do RS e Federação dos Clubes de Terceira Idade do RS.///

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É REAJUSTADA/

A Contribuição Sindical dos(as) Agricultores(as) Familiares é realizada para o Sistema Confederativo – CONTAG – FETAG e Sindicato dos Trabalhadores Rurais./ Ela é devida por toda a categoria, trabalhadores(as) ou empregados(as). / Ou seja, todos aqueles que são trabalhadores rurais e não possuem empregados e exercem a atividade rural, individualmente ou em regime de economia familiar, sendo proprietário, arrendatário, parceiro, meeiro ou comodatário./

 

Para a tesoureira-geral da FETAG-RS, Elisete Hintz, a Contribuição Sindical é uma das formas de manter o Movimento Sindical atuante, forte e em constante luta para assegurar o direito dos agricultores familiares./ Elisete reitera que embora a Contribuição seja facultativa, é uma obrigação dos agricultores(as), pois quando da conquista de um benefício para a classe todos recebem as melhorias./
O valor da Contribuição Sindical da Agricultura Familiar referente ao exercício 2019 é de R$ 34,00 (trinta e quatro reais) por membro do grupo familiar.///